sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

NINGUÉM É MAIS QUE NINGUÉM ABSOLUTAMENTE

Somos todos vulneráveis ao medo, ao amor, a dor, a insegurança e aos erros. Isto é algo involuntário, não conseguimos mudar as regras.
Todos que sofrem uma humilhação uma vez na vida, sentem a humildade brotar dentro do coração.
A arrogância que nos leva a acreditar que somos superiores aos outros, tem origem no medo de sermos inferiores.
Quando se faz o bem conscientemente,quando se faz com naturalidade, sem soberba, sem arrogância, por uma necessidade espectral, a vida, logicamente, se amplia.

Conseguir que as gerações futuras sejam mais felizes que a nossa será o prêmio maior a que possamos aspirar.
Dói mais ao invejoso, à humildade do sábio que à arrogância do intelectual.
Vivemos numa sociedade onde o poder foi confundido com prepotência e o respeito parece se esvair lentamente com a chegada do autoritarismo.

Procuro manter o equilíbrio da emoção com a razão de modo que o excesso de confiança não me torne um insensível, pois a realidade é que sou friamente cauteloso naquilo que faço, e tenho forças no que realmente acredito, não tenho medo da minha própria sombra, como também não tenho medo de qualquer um que represente uma ameaça, pois a desconfiança excessiva tende a me tornar intolerante...
Não tente me definir, não tente me compreender, o que eu realmente sou vai além do que você possa ver, aliás, só vêem o que eu quero que veja ou quem eu quero que veja...
Infelizmente, ou felizmente, depende do ponto de vista, carrego alguns rótulos chatos, mas não se preocupe com isso, aprendi a ser uma pessoa sociável e agradável quando quero e posso te oferecer muito mais do que imagina...
Não me julgue ao ler essa breve descrição, não encare como prepotência, não tire suas conclusões sem me conhecer, seria limitado demais da sua parte...
Não tire suas opiniões ao meu respeito pelo que considera correto, não existe verdades absolutas, nunca disse que sou perfeito, defeitos são inerentes e diversos, e os tenho aos montes...
Deste mundo não levamos nada, nossos corpos terão o mesmo destino, a qualquer momento, Independente de cargo, status ou poder aquisitivo.
O segredo em viver socialmente esta no uso da empatia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário